ISLAMISMO É GUERRA AO RESTO DO MUNDO

 

Islamismo, segundo seu livro sagrado, é guerra ao resto do mundo.  Ouço  pessoas comentando no rádio e na TV que confundimos o mundo islâmico com uma minoria que faz terrorismo.  Mas o que ocorre é o contrário: eles é que confundem o mundo islâmico com os muçulmanos desgarrados que vivem em países laicos ou cristãos.  Não percebem que o livro sagrado islâmico manda matar e morrer pela causa islâmica e submeter os incrédulos.

 

Em primeiro lugar, devemos levar em conta como "mundo islâmico", não os muçulmanos que vivem espalhados por países laicos ou cristãos, onde eles não podem impor nada. "Mundo islâmico" deve ser considerado o grupo de países cujos governantes são muçulmanos.  E, nesses lugares, longe de serem religiosos pacíficos, a regras do alcorão são impostas a toda a população, e quem as transgredir está sujeito de chicoteamento a pena de morte por apedrejamento, ou enforcamento, ou tiro na cabeça.  E em alguns lugares já tem sido sugerida a pena de morte para pessoas que deixarem a religião islâmica e forem para outra.  Isso é que é mundo islâmico.

 

“Ó fiéis, não tomeis por amigos os judeus nem os cristãos; que sejam amigos entre si. Porém, quem dentre vós os tomar por amigos, certamente será um deles; e Deus não encaminha os iníquos” - Alcorão, Suratra 5,51.
"Matai-os onde quer se os encontreis e expulsai-os de onde vos expulsaram, porque a perseguição é mais grave do que o homicídio. Não os combatais nas cercanias da Mesquita Sagrada, a menos que vos ataquem. Mas, se ali vos combaterem, matai-os. Tal será o castigo dos incrédulos" - Alcorão, Suratra 2,191.
"Anseiam (os hipócritas) que renegueis, como renegaram eles, para que sejais todos iguais. Não tomeis a nenhum deles por confidente, até que tenham migrado pela causa de Deus. Porém, se se rebelarem, capturai-os então, matai-os, onde quer que os acheis, e não tomeis a nenhum deles por confidente nem por socorredor" - Alcorão, Suratra 9,89.


"
Combatei aqueles que não crêem em Deus e no Dia do Juízo Final, nem abstêm do que Deus e Seu Mensageiro proibiram, e nem professam a verdadeira religião daqueles que receberam o Livro, até que, submissos, paguem o Jizya" - Alcorão, Suratra 9,29.


"O castigo, para aqueles que lutam contra Deus e contra o Seu Mensageiro e semeiam a corrupção na terra, é que sejam mortos, ou crucificados, ou lhes seja decepada a mão e o pé opostos, ou banidos. Tal será, para eles, um aviltamento nesse mundo e, no outro, sofrerão um severo castigo" - Alcorão, Suratra 5,33.


"Ó adeptos do Livro, não exagereis em vossa religião e não digais de Deus senão a verdade. O Messias, Jesus, filho de Maria, foi tão-somente um mensageiro de Deus e Seu Verbo, com o qual Ele agraciou Maria por intermédio do Seu Espírito. Crede, pois, em Deus e em Seus mensageiros e digais: Trindade! Abstende-vos disso, que será melhor para vós; sabei que Deus é Uno. Glorificado seja! Longe está a hipótese de ter tido um filho. A Ele pertence tudo quanto há nos céus e na terra, e Deus é mais do que suficiente Guardião" - Alcorão, Suratra 4,171


Mas quando os meses sagrados houverem transcorrido, matai os idólatras, onde quer que os acheis; capturai-os, acossai-os e espreitai-os” - Alcorão, Suratra 9,5


''Os incrédulos dizem: Por que não lhe foi revelado o Alcorão de uma só vez? Saibam que assim procedemos para firmar com ele o teu coração, e o te ditamos em versículos, paulatinamente'' - 25ª Surata, versículo 32.


“Os fiéis, que, sem razão fundada (por alguma injúria ou são cegos ou aleijado), permanecem em suas casas, jamais se equiparam àqueles que sacrificam os seus bens e suas vidas pela causa de Deus” - Alcorão 4:95.


Deus cobrará dos fiéis o sacrifício de seus bens e pessoas, em troca do Paraíso. Combaterão pela causa de Deus, matarão e serão mortos” - Surata 9:111.

 

O Islamismo é pior do que o Cristianismo. Pois os evangelhos cristãos pregam a paz e a mansidão, no entanto, a igreja, ao conseguir poder, impôs terror ao mundo por muitos séculos, até que o mundo resistiu e acabou com o poder dela. Já o Islamismo, este surgiu fazendo guerra a todos que não creem eu seu livro sagrado, continua oprimindo nos lugares onde têm poder político. O incrível é que muita gente não observa como são os países onde os governantes são muçulmanos.   As regras islâmicas não são para os muçulmanos, mas sim para impor a todos os que estão nos seus territórios.  Se cristãos atuais do mundo civilizado usam os evangelhos para provar que a Igreja Católica errou e que o Cristianismo não deve ser imposto, isso não pode se aplicar ao islamismo; pois as palavras sagradas deles mandam combater os incrédulos até submetê-los.  E, mesmo diante de tudo isso, há tantos que não percebem que, se eles conseguirem uma maioria aqui, irão tentar impor suas regras primitivas e cruéis a toda a população.

 

"Combatei aqueles que não crêem em Deus e no Dia do Juízo Final, nem abstêm do que Deus e Seu Mensageiro proibiram, e nem professam a verdadeira religião daqueles que receberam o Livro, até que, submissos, paguem o Jizya" (9ª Surata: 29).  Essa é a ordem.  Em qualquer lugar que eles adquirirem força, estarão dispostos a fazer valer essas palavras sagradas.  Engana-se quem pensa que eles não são uma ameaça por aqui.  A lei divina deles é clara: o mundo deve submeter-se à vontade de Alá.  A guerra santa é mandamento para os muçulmanos.

 

Para comprovar isso, que não existe islamismo extremista, mas o verdadeiro islamismo é assim, veja vídeo o que um muçulmano explica no Youtube. Não é extremismo, mas a ordem de Alá. “Deus cobrará dos fiéis o sacrifício de seus bens e pessoas, em troca do Paraíso. Combaterão pela causa de Deus, matarão e serão mortos (Alocorão, Surata 9:111)
 

Ver mais sobre o ISLAMISMO

 

..

.