DEUS É UM TORTURADOR COMO SEUS CRIADORES

 

Psicóloga afirma que a Bíblia é a favor da tortura, e que o próprio Deus é um torturador
Por Dan Martins em 7 de janeiro de 2015

A psicóloga e escritora norte americana Valerie Tarico comentou recentemente um inquérito da CIA sobre a tortura e, sobretudo, a reação de grupos cristãos diante da revelação de feita pelo Senado norte americano de que a agência de inteligência do país torturou muitas pessoas, algumas inocentes, até a morte; e que evidências sugerem que essa tortura não teria extraído nenhuma informação que salvou vidas.

 

Em um texto publicado em seu site, Tarico afirma que a revelação foi dolorosa para muitos cristãos moderados, que veem seu Deus como um Deus de amor; mas ressalta que a maioria dos norte-americanos, sobretudo cristãos, são a favor da tortura. Ela afirma ainda que os cristãos que desaprovam a tortura são confrontados “dentro de suas próprias fileiras”, e que a própria Bíblia é a favor da prática da tortura.

Segundo a psicóloga, que é autora do livro Trusting Doubt: A Former Evangelical Looks at Old Beliefs in a New Light (“Confiar na Dúvida: Uma antiga evangélica olha para velhas crenças a uma nova luz”, em tradução livre), a Bíblia “subscreve tortura regularmente, por meio de histórias, leis, profecias e sermões; incluindo a partir da boca do próprio Jesus”.

Para defender este argumento, ela lista vários pontos na Bíblia onde, segundo ela, a Bíblia encoraja ou aprova a prática da tortura.

Valerie Tarico começa sua lista com a “Maldição de Eva”, afirmando que “dor intensa e prolongada, aplicada como punição, aparece quase imediatamente nas páginas da Bíblia, infligida pelo próprio Deus”. Citando a passagem de Gênesis 2:16, ela afirma que neste momento a Bíblia defende a tortura como forma de punição.

Usando uma série de versículos bíblicos para apoiar seus argumentos, a psicóloga afirma ainda que a Bíblia, e o próprio Deus, é também a favor da tortura como teste de lealdade, citando os relatos sobre Jó, e afirmando que “um homem justo torna-se objeto de uma aposta divina entre Deus e satanás”. Ao falar sobre os relatos do Êxodo, ela afirma ainda que Deus usa a tortura como uma demonstração de força, descrevendo a história de Moisés conduzindo o povo hebreu para fora do Egito como “o conto de um ser sobrenatural brincando com os mortais, porque ele pode, infligindo rodada após rodada de terror” com o objetivo de “exibir seu poder”.
Compartilhar

Citando uma série de trechos das Escrituras Sagradas do cristianismo, a escritora segue afirmando que a Bíblia é a favor da tortura, e finaliza usando o inferno como exemplo da “tortura como forma de eternidade” que, segundo ela, é apoiada pela Bíblia.

A moral religiosa, ditada do alto, pode ser tão contraditória ou cruel quando o deus que dita [essa moral], ou a cultura que criou esse deus. Quando Deus é a versão sobrenatural de um caudilho da Idade do Ferro, é quando tudo se torna possível, inclusive tortura – finaliza Tarico.

http://noticias.gospelmais.com.br/psicologa-biblia-favor-tortura-73716.html

 

 

 

Ver mais CONHECIMENTOS GERAIS

 

..

.