.

.

OS DEUSES E O SEXO

A imagem ao lado não é uma pornografia, mas algo sagrado.  As religiões mais antigas não abominavam o sexo como as atuais. O desenho é o culto a um deus da fertilidade.   A abominação do sexo começou com os hebreus e perpetuou-se com os cristãos.

"Os primeiros habitantes do Egito e da Mesopotâmia cultuavam a fertilidade. Assim, criaram uma espécie de religião agrária para honrar a 'deusa-mãe', que garantia boas colheitas. Mais tarde, passaram a adorar um deus masculino também: o 'princípio fecundador' (foto).  E esse casal divino serviria de base para os mitos da criação do mundo de vários povos, como gregos e romanos. Lendas sumérias e egípcias falavam ainda de uma 'árvore da vida', situada num paraíso terrestre - algo parecido como Jardim do Éden descrito na Bíblia."  (Superinteressante, junho/2009, pág. 13).
 

DEUSA DO AMOR DOS GREGOS

"De acordo com o mito teogônico mais aceito, Afrodite nasceu quando Urano (pai dos titãs) foi castrado por seu filho Cronos, que atirou seus testículos ao mar, que começou a ferver e a espumar, esse efeito foi a fecundação que ocorreu em Tálassa, deusa primordial do mar. De aphros ("espuma do mar"), ergueu-se Afrodite e o mar a carregou para Chipre. Por isso um dos seus epítetos é Kypris. Assim, Afrodite é de uma geração mais antiga que a maioria dos outros deuses olímpicos. Em outra versão (como diz Homero), Dione é mãe de Afrodite com Zeus, sendo Dione, filha de Urano e Tálassa. Após jogar seus testículos ao mar Zeus percebeu que algo acontecia no mar, e foi ai que Afrodite ergueu-se das espumas. O atributo de Afrodite era o espelho, pois ela era muito bonita.
...

Alguns de seus filhos são Hermafrodito (com Hermes), Eros (deus do amor e da paixão) dependendo da versão, é filho de Hefesto, Ares ou até Zeus (com Zeus, apenas quando Afrodite é filha de Tálassa), Anteros (com Ares, a versão mais aceita ou com Adônis, versão menos conhecida), Fobos, Deimos e Harmonia (com Ares), Himeneu, (com Apolo), Príapo (com Dionísio) e Enéias (com Anquises). Os diversos filhos de Afrodite mostram seu domínio sobre as mais diversas faces do amor e da paixão humana. Afrodite sempre amou a alegria e o glamour, e nunca se satisfez em ser a esposa caseira do trabalhador Hefesto. Afrodite amou e foi amada por muitos deuses e mortais. Dentre seus amantes mortais, os mais famosos foram Anquises e Adônis, que também era apaixonado por Perséfone, que aliás, era sua rival, tanto pela disputa pelo amor de Adônis, tanto no que se diz respeito de beleza. Vale destacar que a deusa do amor não admitia que nenhuma outra mulher tivesse uma beleza comparável com a sua, punindo (somente) mortais que se atrevessem comparar a beleza com a sua, ou, em certos casos, quem possuísse tal beleza. Exemplos disso é Psiquê e Andrômeda." (Vikipédia).

O DEUS HEBREU É ASSEXUADO

O sexo no Egito antigo fazia parte de rituais religiosos, conforme se vê na imagem acima e outras encontradas, e os deuses gregos gostavam de sexo.  Mas o deus hebreu e cristão fez o homem de barro, fez a mulher de uma costela do homem e fez nascer o deus filho de uma mulher, mas sem relação sexual.  

"Concepção divinal, isto é, uma criança nascida do ventre de uma mulher fecundada por um deus, era um conceito muito difundido no mundo helênico, razão pela qual a partenogênese de Jesus foi admitida, conquanto repudiada no ambiente judeu.  Em menor escala, era também aceito também no antigo Egito.

A diferença era que os deuses helênicos engravidavam mulheres por luxúria, enquanto os egípcios só admitiam essa possibilidade quando envolvia questões superiores ligadas ao governo do país, ou seja, aos faraós.

Era essencial para um rei egípcio provar que tinha direito legítimo ao trono. Havendo dúvidas, a saída era alegar que o príncipe fora indicado por um deus, através de um sonho, ou que a estátua do deus o havia apontado no interior de um templo, ou que o próprio deus era o pai da criança.

Foi esse o recurso usado por Hatshepsut, a única mulher que governou o Egito (1503-1482 a.C.) como se fora um homem. A história de como ela foi concebida de um deus está gravada em uma das paredes de seu templo, em Deir el-Bahari, no Alto Egito." (http://cafehistoria.ning.com/group/amoresexonoantigoegito/forum/topics/concepcao-divinal)

Um deus (Jesus) nascido de uma mulher já foi uma evolução sexual do cristianismo. Entre os hebreus,  não se admitiria um deus ter filho de uma mulher, e, até com a finalidade de procriação, o sexo era visto como algo impuro, tendo restrições.  E, entre cristãos, o sexo passou a ser visto como o primeiro pecado da humanidade.   Os anjos que desceram do céu e tiveram filhos com as filhas dos homens foram lançados em prisão eterna (Gêneses 6: 2 e Judas, 6)

Uma das rezas de louvor a Maria, a mulher idolatrada pelo catolicismo como mãe de Jesus, diz: "Oh, Maria concebida sem o pecado original..."  Isso significa, segundo a tradição católica, que Maria nasceu de uma mulher idosa, sem que essa mãe tivesse relação com o esposo, tal qual dizem que Jesus nasceu de Maria também por obra divina sem o ato sexual.   É, portanto, sob a ótica católica, o ato sexual o pecado original, dizendo eles que a fruta da árvore do conhecimento do bem e do mal apresentada no livro de Gêneses é uma figura que representa o sexo.

Tratando de sexo homo, a coisa fica mais grave.  Os hebreus puniam com a morte os homossexuais.  E os cristãos mantiveram a mesma visão.

Hoje, alguns religiosos tentam até dar caráter científico a seus modos de ver o sexo:

"A boca e o ânus/reto, não apresentam inervação erótica; são fontes certas de infecção e não levam à gravidez.", argumentam os religiosos (http://www.jesusvoltara.com.br/atuais/sexo_oral_anal.htm).  Não é difícil você avaliar se têm razão em tudo ou eu parte. 

"Assim, o ânus não foi feito para a finalidade sexual. A medicina condena tal prática." (Idem). 

Pergunte a um médico, e dificilmente ele irá confirmar esse argumento religioso.   Infecções existem, mas não se limitam ao anus e à boca; e o sexo anal, se feito com preservativo, não faz nenhum mal, segundo os especialistas.  A medicina que "condena tal prática" deve compor-se de médicos religiosos.

"O sexo foi criado por Deus visando à procriação, como é comum a todos os animais. Mas, ao ser humano o Eterno permitiu que além da idéia principal de procriação, as relações sexuais fossem fonte de prazer e que naturalmente complementasse a vida conjugal (sexo, abençoado, apenas no casamento). O diabo aproveitou-se da situação e plantou nos corações a malícia, que desencadeia toda uma série de desejos imundos, fortes o suficiente para escravizar o homem. A mulher tornou-se nas mãos do inimigo um objeto, sedutor, cuja imagem é usada em quase todas as áreas. Na TV, a sensualidade e o erotismo são usados para aumentar os índices de audiência e para vender todo tipo de objetos –de pneu a arroz!" (http://www.vivos.com.br/177.htm)

Hoje se sabe que a homossexualidade existe em praticamente todo reino animal. Quando dois macacos fazem sexo, não há nenhuma idéia de procriação, simplesmente eles estão fazendo porque gostam.  Ou o deus criador deu alguma finalidade ao homossexualismo entre os chamados irracionais enquanto condena tal prática entre os humanos?

"(Rm 1.24-27; 6.19; Ef 4.19; Hb 13.4; 2Pe 2.10). É facilmente comprovada pela ciência a função de cada órgão de nosso corpo. E os órgãos que foram criados por Deus para as relações sexuais, são a vagina e o pênis. Um foi feito para o outro.
1) O sexo oral & Anal - é fruto da impureza, gerada pela carne. "Ora, as obras da carne são conhecidas e são: prostituição, impureza, lascívia..." Gl 5.19 (Impureza - no sentido moral: impureza proveniente de desejos sexuais, luxuria, vida devassa; Lascívia - Conduta vergonhosa, como sensualidade, imoralidade sexual, libertinagem, luxúria). É impossível tal prática, sem que a carne esteja totalmente tomada por sentimentos poucos nobres.
2) Masturbação - Não resta-nos dúvidas quanto a "pecabilidade" desta pratica, ela se enquadra nitidamente entre os frutos produzidos pela carne.
" (
http://www.vivos.com.br/177.htm)

Embora para os  egípcios o sexo fosse uma coisa sagrada, e os deuses gregos gostassem muito de sexo, para judeus e cristãos, o sexo é algo impuro, só servindo para perpetuar a espécie, uma vez que os seres humanos não podem multiplicar-se por cissiparidade como as bactérias.

 

Ver mais RELIGIÃO

 

..