DESENCONTROS SENTIMENTAIS -- 22/04/2001

 

Que olhos verdes me olhando
De um modo especial!
Que descarga hormonal
Enchendo meus capilares!
Contemplando aquela beleza,
Eu medito fascinado:
A sorte está ao meu lado!
Hum! Bons fluidos! Bons ares!

Sinto que ela está sendo
Flechada pelo cupido,
Mas esse anjo bandido
Tira a gata de mim.
Pinta um outro no pedaço,
Um carinha esquisito,
Mas ela o acha bonito!
Eu me digo: é o fim!!!

Ah, vou esquecer essa!
Há tantas meninas belas
Aí por essas ruelas!
Com alguém eu posso acertar.
Posso atrair uma outra,
Que não pense como aquela;
Não tenho que gostar só dela;
Outra ocupa o seu lugar.

Passando por umas e outras,
Pequenos relacionamentos,
Alguns agradáveis momentos,
Porém nem tanto marcantes,
Percorro longo caminho,
Tem subida, tem descida,
Buscando o melhor da vida,
Casos mais gratificantes.

Surge aquela moreninha
Lá das bandas no Nordeste,
Mas outro cabra da peste
Me põe fora da partida.
O jeito é partir para outra
E ter essa como morta.
Um dia chove em minha horta.
Nem tudo são flores na vida.

Após muitos altos e baixos,
Encontro aquela loirinha,
Bem da preferência minha;
Eu me animo: É agora!
Acho que não me engano:
Ela parece apaixonada!
Aqui imagino que nada
Vai me jogar para fora.

Novamente não acerto:
Quem seria uma alma gêmea
É apenas mais uma fêmea
Indecisa, inconstante;
Age como uma borboleta
Que vem se aproximando,
Mas, quando eu correspondo,
Voa para bem distante.

Eu abandono a caçada;
Tem outras em meu caminho;
Ela volta de mansinho,
Parecendo arrependida;
Eu resolvo voltar atrás,
Retentando a conquista;
Essa sadomasoquista
Vira para outro perdida!

Que comportamento estranho
Apresentam essas mulheres,
Querendo os que não as querem,
Recusando os pretendentes!
Elas gostam de sofrer?
Amam causar sofrimento?
- Eu suspeito a todo momento -
Confundem as nossas mentes!

Por que eu sou desejado
Quando não estou querendo?
Eu tento, mas não entendo
Por que elas agem assim.
Pois a mesma que me pretende,
Ao ver que eu retribuo,
Põe-se logo em recuo!
É para ferir a mim?

Ou o problema é comigo?
Imagino que não sou feio,
Mas parece que chateio
Quem se aproxima de mim;
Pois, quando estou alheio,
E há uma interessada,
Vejo-a em retirada
Ao revelar que estou a fim!

Alguém pode me explicar
O azar que me acompanha,
Falta de sorte tamanha?
Cupido é meu inimigo?
Não tive o favor de Vênus?
Foi Plutão, ou foi Saturno
Que revés tão diuturno
Me impôs como castigo?
 

Ver mais POESIA

 

..

.