Economia e política, conhecimentos gerais, contos e crônicas, avisos, cartas, humor.

HERANÇA DO DEPUTADO CLODOVIL HERNANDES


Clodovil é uma figura inegavelmente polêmica. Mas tinha idéias e coragem, além das suas contradições, tão humanas. Inteligente, com um senso crítico aguçado, ele dizia o que os outros apenas pensavam...

Em Julho de 2008 o deputado Clodovil Hernandes apresentou à Mesa da Câmara proposta de emenda à Constituição (PEC) para reduzir o número de deputados de 513 para 250. O projeto teve o apoio de 279 parlamentares (eram necessários 172 votos para que fosse apresentado). Não passou, por interesses óbvios. De novo é o gato tomando conta do peixe. Pelo projeto, nenhuma Unidade da Federação poderá ter menos de 4 deputados nem mais de 35. Hoje, a menor representação tem 8 e a maior, 70. Se a PEC passar, haverá corte de 263 deputados e redução de gastos, só em despesas com os parlamentares, de R$ 26,3 milhões por mês. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. Vamos divulgar e apoiar? A idéia é ótima!!! Fui pesquisar o custo de cada parlamentar brasileiro, e de acordo com a ONG Transparência Brasil o custo de cada deputado é de R$ 6,6 milhões por ano! E o custo de cada senador é de R$ 33,1 milhões por ano.

Se a emenda Clodovil passasse, reduzindo pela metade o número de parlamentares, e supondo que isso pudesse ser feito tanto na Câmara quanto no Senado, teríamos uma economia de aproximadamente R$ 3,1 BILHÃO DE REAIS!

Isso dá mais ou menos R$ 17,00 por habitante.

Já que o gasto público com saúde é de R$ 0,64 por habitante, veja o que a economia com os parlamentares pode proporcionar! (No Brasil, segundo o sindicato dos hospitais de Pernambuco (Sindhospe), “para um gasto total de U$ 600 per capita/ano (em saúde), apenas US$ 300 vêm do setor público. Destes, apenas U$ 150 são investimento federal, ou seja, U$ 0,40 por cidadão brasileiro”).

Daria para multiplicar a verba hospitalar atual por habitante por mais de 26 vezes!

Além disso, teremos menos chance de corrupção, menos políticos para controlar.

Divulguem, se concordarem.

Quem sabe a maior obra do Clodovil não será póstuma? (Mensagem recebida por e-mail em 12/04/2009)

 

17/03/2009 - 16h53
Como deputado, Clodovil apresentou 17 projetos à Câmara

Deputado federal de primeiro mandato, Clodovil Hernandes (PR-SP) apresentou 17 projetos e uma PEC (proposta de emenda à Constituição) à Câmara desde que assumiu o mandato em fevereiro de 2007.
...
Algumas dessas propostas são controvertidas e outras geraram críticas dos próprios colegas --como a PEC que sugere a redução de 513 para 250 deputados federais na Casa. Segundo Clodovil, não havia necessidade de manter o atual número de políticos no Congresso.
A proposta que mais avançou foi a que autoriza o enteado a adotar o nome de família do padrasto. A proposta tramita na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado.
 

17.jun.2008/Folha Imagem
Hospital Santa Lúcia, em Brasília, anuncia morte cerebral de Clodovil Hernandes
Filho adotivo de um casal de espanhóis, Clodovil sempre mencionou a mãe com carinho.  Por sugestão do deputado, deveria ser instituído o Dia da Mãe Adotiva --que seria comemorado no terceiro domingo de maio.
Outras propostas
Os problemas de saúde de Clodovil começaram a surgir em 2005, quando ele foi diagnosticado com câncer de próstata. Ele retirou o tumor em uma cirurgia e não precisou fazer tratamentos complemantares.
O deputado resolveu fazer campanha de esclarecimento sobre o assunto. Clodovil apresentou uma proposta que torna obrigatório e gratuito o exame de próstata em homens com mais de 40 anos.
O parlamentar também sugeriu, por meio de projeto de lei, que o governo federal mantivesse um serviço de atendimento médico, psicológico e social para as vítimas de violência sexual em todo país.
Na relação de propostas apresentadas por Clodovil, há ainda a ampliação do período de internação sócio-educativa para as crianças e os adolescentes acusados de crimes. Atualmente a idade limite é de 18 anos, mas o deputado propôs que a internação se estenda para os 26 anos --com a ressalva que o período de internação seja de no máximo 8 anos.
Para o deputado, assim como os médicos, os dentistas também deveriam fazer residência médica. O deputado integra quatro comissões permanentes de Relações Exteriores, Educação, Direitos Humanos e Seguridade Social.
(Folha de São Paulo - http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u535462.shtml)

Ver mais
POLÍTICA E ECONOMIA

Para abrir em nova janela, mantendo esta página aberta, pressione SHIFT ao clicar no link.

- -

BUSCA
Google

PROCURE NA CAIXA ABAIXO