BOMBA É BOMBA

/2010

Carga explosiva
Para ter o corpo perfeito, homens usam anabolizantes e outras drogas, compram produtos ilegalmente e causam sérios danos ao organismo
Márcia Maria Cruz
Frederico Bottrel

‘‘São quatro dedos abaixo do ombro." Simples assim, o vendedor da loja de suplementos, na Região Leste de Belo Horizonte, resume as instruções de uso caseiro para injeção do Nandrolone Decanoate, hormônio masculino teoricamente vendido sob prescrição médica e retenção da receita, para controle do consumo. Mas, na loja, o Deca não está na prateleira e o que o vendedor menos precisa é da receita. Isso, porém, não significa que a compra é totalmente irrestrita. Para ter acesso ao vidro de 2 mililitros vendido a R$ 60, o Bem Viver se infiltrou em redes de conexões próprias ao local de venda. Só compra quem é amigo de amigo. "Se você é frango, nem adianta, porque você não vai conseguir comprar", diz um jovem em vídeo disponível no YouTube, em que descreve sua "jantinha", mostrando as substâncias esteroides que ingere para ter o corpo que tem.

Tudo à margem da Lei Federal nº 9.965, de 27 de abril de 2000, que não deixa dúvidas quanto ao procedimento para a compra de esteroides ou peptídeos anabolizantes no Brasil: "A receita (…) deverá conter a identificação do profissional, o número de registro no respectivo conselho profissional (CRM ou CRO), o número do cadastro da pessoa física (CPF), o endereço e telefone profissionais, além do nome, endereço do paciente e número do Código Internacional de Doenças (CID), devendo a mesma ficar retida no estabelecimento farmacêutico por cinco anos".

Isso porque, embora banalizado em algumas academias, e prescrito por profissionais despreparados, vendido e defendido na internet, o uso das populares "bombas" é extremamente prejudicial à saúde, como explica o médico endocrinologista Márcio Weissheimer Lauria, diretor científico da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia – regional Minas Gerais: "Bomba é um termo genérico para qualquer substância que permite ganho de massa muscular. As mais conhecidas contêm hormônios (anabolizantes-esteroides) derivados da testosterona. Elevação da pressão arterial, aumento do colesterol ruim, lesões graves no fígado, acne, atrofia dos testículos, diminuição da produção de espermatozoides, infertilidade, impotência sexual e aumento no risco do câncer de próstata são algumas das reações adversas, no caso dos homens".

Nesta edição do Bem Viver, a reportagem se infiltrou no mercado ilícito da compra e venda de esteroides anabolizantes, além de procurar entender, junto a especialistas e usuários, o significado do fenômeno, comum entre jovens entre 18 e 34 anos. Conversas na academia, compras na loja de suplementos e na internet revelam um universo paralelo que parece tornar o uso de tais substâncias bem mais tranquilo do que de fato é. Com a naturalidade da exposição das técnicas de uso na internet e a relativa facilidade das compras, fica até a sensação de que se trata de prática tão natural que parece livre de repressão ou consequências graves – pelo menos até o aparecimento das reações adversas. (Estado de Minas, 13/02/2009)

 

Ver mais SAÚDE

..

BUSCA
Google

PROCURE NA CAIXA ABAIXO